domingo, dezembro 09, 2007

Interstícios














Ardem-me os olhos, rosáceas abertas
Que sustentam molduras que cercam o sentido
De estar presente a face que nos olha
Uma minúcia clara, na polpa que se adoça
E que em minha fronte pousa e se adelgaça
Escuto a sede dos estreitos
Álgidos como faúlhas em meus dedos
Sorvo de um trago a sombra da imagem
Onde minhas mãos pousam como pássaros
Inspiro uma chama de ouvido
Diluo-me em paisagens de corpo esculpido


17 Comments:

Blogger Mar Arável said...

Belos os corpos

esculturais

que ardem e voam

como se fossem estátuas

09 dezembro, 2007 23:04  
Blogger Marco António said...

O sentido que se vai desvanecendo ao caminhar por entre sombras que se vão diluíndo por entre caminhos que me inspiram.
Abraço,
Marco

09 dezembro, 2007 23:23  
Anonymous Anónimo said...

Um belíssimo poema, uma viagem pela mente, que pensa e vive...

11 dezembro, 2007 10:17  
Blogger SentidoS said...

Vitral a vitral, janela de �gua submersa da alma, queda de �gua que brota do olhar que comove a plan�ces em fresco ondeio, sil�ncio tardio, chama de um ritual...

Acesas e sulcadas letras..
Bela melodia...

Beijo Sentido

12 dezembro, 2007 01:02  
Blogger ~pi said...

do corpo:

linhas

esboço

desejo

interSticiação


.

12 dezembro, 2007 21:32  
Blogger un dress said...

negro no branco

mãos.quase.asas

13 dezembro, 2007 12:41  
Blogger Vera Carvalho said...

Belo interstício de sensações e sentidos!
A linguagem em forma de arte:)
Abraço.

13 dezembro, 2007 13:38  
Blogger mixtu said...

a sombra da imagem...
nem sempre as sombras são sombras...

abrazo europeo

14 dezembro, 2007 13:05  
Blogger rosasiventos said...

descansava transparente com um sorriso eterno.

14 dezembro, 2007 17:34  
Blogger daniel sant'iago said...

Tão curta a distância...
Tão estreito o caminho...
Tão veloz a surpresa...

15 dezembro, 2007 11:56  
Blogger O Profeta said...

A sombra fica para além do silêncio...


Doce beijo

19 dezembro, 2007 10:16  
Blogger João C. Santos said...

Palavras que fazem a forma de uns dedos soltos e sem sombra

21 dezembro, 2007 17:03  
Blogger *@rclight* said...

minha amiga
a tua escrita continua bela de se ler
muito envolvente e marcante

desejo-t o melhor da vida
k a esperança jamais morra e nos deixe cair na tentação

passa um lindo natal com kem mais adoras*
beijo daki*****

23 dezembro, 2007 14:15  
Blogger O Profeta said...

Para ti que me visitaste
Ao longo destes poucos meses
Ofereço-te uma prenda singela
Uma estrela de mil cores

Roubei-a ao firmamento
Deposito-a na tua mão
Para que neste Natal
Te ilumine o coração

Um Santo e Mágico Natal


Doce beijo

23 dezembro, 2007 15:42  
Anonymous Anónimo said...

Passei para te reler e desejar um Feliz 2008.
Beijitos

29 dezembro, 2007 14:35  
Blogger O Profeta said...

Olhos abertos de espanto
A esperança renovada
Há um novo ano que anuncia
Os passos da felicidade na sua chegada

E porque gosto de ti
Companheira de viagem
Que a minha companhia
Não seja uma miragem

E porque tocaste o profeta
Com a delicadeza da tua terna mão
No abrir das minhas portas
Ilumino teu coração


Um mágico 2008


Um beijo de luz

30 dezembro, 2007 21:36  
Blogger isabel victor said...

Vou passando ...

Gostei.

BlogAbraço

IV

11 março, 2008 21:17  

Enviar um comentário

<< Home