segunda-feira, novembro 12, 2007

Plenilúnio













Se afogo,
invento uma noite clara

Saberei que meus olhos ardem como brasas

10 Comments:

Anonymous Anónimo said...

A tua poesia tem o calor do Estio do sul de Portugal.

Um bom dia para ti.

13 novembro, 2007 09:38  
Blogger Mar Arável said...

As noites claras são noites de lua cheia

a menos que na lua nova

possamos acender uma fogueira

nos olhos

13 novembro, 2007 18:27  
Blogger Betty Branco Martins said...

Minha querida


_____________o







suspirar







da infinitude____________




BeijO com carinhO

16 novembro, 2007 15:01  
Blogger O Profeta said...

Na noite tudo se perde...mora a paixão, o sortilégio do querer...


Doce beijo

20 novembro, 2007 14:50  
Blogger Vera Carvalho said...

"Os olhos são o espelho da alma"!
Um abraço!

23 novembro, 2007 00:42  
Blogger daniel sant'iago said...

Mergulhar bem fundo...
... e não regressar!

23 novembro, 2007 18:37  
Blogger SentidoS said...

A noite acende a alma, banha a íris do pensamento, e a retina, é viga de um braseiro...

Beijo Sentido

24 novembro, 2007 12:46  
Blogger un dress said...

como brasas desardidas.

28 novembro, 2007 20:38  
Blogger Statler said...

Se afogas morres,
Encontras noites escuras
E os teus olhos vão lacrimejar como velas.

Desmodera-me!!

05 dezembro, 2007 22:15  
Anonymous anónimo não alcoólico said...

Muito bem! Da simplicidade nasce o pormenor.

06 dezembro, 2007 14:45  

Enviar um comentário

<< Home