quarta-feira, junho 06, 2007

Intermezzo









Furto aos anjos as cores da madrugada
que passam lentas na hora transviada
Deito-me com as letras molhadas
nas vírgulas das línguas trançadas
Perscruto o aroma, absinto que embriaga
São metáforas tocadas por um fio d'água
deslizando em sonâmbulo estio


38 Comments:

Anonymous madrugada said...

Mas que belo momento
aqui passei.

06 junho, 2007 06:12  
Blogger Abssinto said...

Cheirou-me a absinto!?:)

Água pura que corre por estes lados sempre. Tem um som relaxante.

bj

06 junho, 2007 23:30  
Blogger Unicus said...

És fabulosa.
Beijo-te.

07 junho, 2007 09:53  
Blogger Letras de Babel said...

tenho passado várias vezes por aqui e nunca sei que palavras te acrescentar...


são belos, os poemas.


_____________________


beijos

07 junho, 2007 13:57  
Blogger lampâda mervelha said...

|é madrugada|

e conseguiria viver nela... até despertar

07 junho, 2007 14:00  
Blogger Bandida said...

que belo fio de água. que belo!



beijo

B.
______________________

07 junho, 2007 22:06  
Blogger Daniel Aladiah said...

Trocas de palavras em estilo que é teu. Bonito.
Um beijo
Daniel

08 junho, 2007 00:08  
Blogger .Rut. said...

Bolas, que bem que escreves! Vou voltar!

08 junho, 2007 01:42  
Blogger o alquimista said...

Ditosos são os amantes ao fim do dia, não deixam sombra na noite, trocam palavras, juras em harmonia, e o encanto floresce à cadência da palavra, explode no peito com fome de beijo, solto...

Bom fim de semana

Doce beijo

09 junho, 2007 17:35  
Blogger agua_quente said...

Um delicioso fio de água com as cores da madrugada. Belo.
Beijos

10 junho, 2007 17:28  
Blogger Aesis said...

As tuas palavras são o complemento recto num trago de Drambuie... sonâmbulo permaneço (por aqui).

11 junho, 2007 01:03  
Blogger vida de vidro said...

Como água deslizam as tuas palavras. Água matriz de beleza. **

11 junho, 2007 19:59  
Blogger un dress said...

água...

12 junho, 2007 10:54  
Blogger mixtu said...

palavras, virgulas.. por norma não utilizo pontos finais...

abrazo, :)

12 junho, 2007 17:13  
Blogger consciente said...

Das límpidas águas dos meus sonhos, imortalizei cada gota e nasci no chão que pisei, quem sou eu...nem eu sei...(mas sei que as tuas palavras são belas)

13 junho, 2007 03:54  
Blogger Tacitus said...

Mais um momento inspirado. Metáforas que encaixam na perfeição! Bom resto de semana e um abraço ;)

14 junho, 2007 11:11  
Anonymous Anónimo said...

Olá. Tenho-a seguido com bastante interesse e - na falta de um email visível - vejo-me forçada a deixar aqui estas palavras em jeito de convite. Gostaria, se possível, que me enviasse um email (pode ver no meu profile) pois gostava de lhe fazer um convite em relação ao que escreve.
Cumprimentos.

14 junho, 2007 21:23  
Blogger o alquimista said...

Nasceu a luz sobre as cidades, agita-se a ilha no encontro com o dia, acorda a emoção, a suave brisa, amanhece o sonho que a vontade guia. A lonjura é a distância da viagem, a idade não cobre os rochedos, passam ventos de encantamento descobrindo mil e um segredos...


Doce beijo

14 junho, 2007 21:36  
Blogger Bruxinhachellot said...

Muito bem escrito.

Beijos de Sol e de Lua.

15 junho, 2007 18:20  
Blogger A.S. said...

Esta manhã encontrei o teu nome nos meus sonhos entre as cores sensuais da madrugada...


Um terno beijo!

15 junho, 2007 21:11  
Blogger daniel sant'iago said...

É... deitar-se com letras molhadas por.
Beijo.

18 junho, 2007 18:13  
Blogger Vera Carvalho said...

As minhas palavras retraem-se a poesia feita assim!
Basta-me aplaudir de pé!

20 junho, 2007 18:31  
Blogger smash said...

Deveras fiquei eu impressionado com o teu comentário no meu blog, e decidi vir ver que pessoa, era "aquela" que de mim fez pequeno, e as suas palavras transcederem este mundo. E vim ver, então fiquei ainda mais pequeno por ver tão grande espaço de literatura, sou um mero aprendiz da palavra. Ela ainda não me deu confiança para a tratar por tu, como tu o fazes. Beijos e só me resta render a evidêncida de tão grande poetisa.

22 junho, 2007 14:50  
Blogger mixtu said...

os anjos procuram as cores furtadas...

un beso en un tren... buscando mi felicidad

22 junho, 2007 22:36  
Anonymous Henrique Mendes said...

De alguns textos, em particular, gostei além da conta. Mas o sentimento que sobrevive a esta "visita", é de reverência perante tanta beleza conceitual, em tão pouco espaço. Foi uma visita ocasional, mas memorável, inesquecível, que quero repetir muito.
Parabéns. Sinceros. E um abraço !

24 junho, 2007 14:37  
Blogger Lord of Erewhon said...

Muito bom este poema, muito bom mesmo!

24 junho, 2007 22:02  
Blogger o alquimista said...

jlifSaberás que os sonhos, moram nas gotas de orvalho que um arco-íris solta, em coração desencontrado. Saberás que os passos errantes de um louco na procura do norte, não deixam marcas no pó, tão pouco são rumo para a sorte.

Bom fim de semana

Doce beijo

28 junho, 2007 14:59  
Blogger Unicus said...

Tu és a poesia. Devias publicar. Adorava ter um livro teu à cabeceira.
Beijos

29 junho, 2007 11:04  
Blogger mitro said...

Penso que os anjos não se importarão!

02 julho, 2007 15:47  
Blogger Bru said...

sem meias palavras...sem meias imagens...


bru

09 julho, 2007 00:01  
Blogger mixtu said...

... estio

abrazo europeo

23 julho, 2007 00:08  
Blogger RC said...

Suspiro*

06 agosto, 2007 18:46  
Blogger Pierrot said...

Deslizando pelo papel, enquanto as letras deslizam pela pena afora!
Como que foges quando te tentam tocar, como que te esgueiras entre os dedos que tocam o eu brilho...

Foi assim que te senti no poema

Gostei
Bjos daqui
Pierrot o regressado

14 agosto, 2007 10:38  
Anonymous luso poemas said...

venha participar em www.luso-poemas.net
:)

21 agosto, 2007 15:31  
Blogger João Filipe Ferreira said...

lindo momento:)
adoreiiiii
muitos parabens e beijinhos:)

21 agosto, 2007 15:32  
Blogger Daniel Aladiah said...

Grande intervalo... :(
Um beijo
Daniel

29 agosto, 2007 23:33  
Anonymous Mel de Carvalho (www.noitedemel.blogs.sapo.pt) said...

Sempre que posso volto aqui. Uma poesia sensual e muito, muito bela.

Tu mesma o dizes:

"São metáforas tocadas por um fio d'água
deslizando em sonâmbulo estio"


Bjs Equivatus
Mel

15 setembro, 2007 13:53  
Blogger Eternus said...

Que palavras! Que beleza rara!
Espero que voltes a brincar-nos com mais.

28 setembro, 2007 18:56  

Enviar um comentário

<< Home