segunda-feira, novembro 13, 2006

Sensório













No seio onde o desejo estua
Adentro-me…

No cálice, a gota de sangue
Lúbrica valsando no leito de vidro
No meio da noite emplumada
A língua sibilina seduzindo o intento
Os lábios que os lábios acariciam
Desfilando vagos, procurando regatos
Abrem-se rosáceos, sedentos, molhados
E os dedos ávidos lavrando incêndios
Pintam acres sóis na pele que inflama
O desejo na respiração ofegante e plena
Em rubra labareda sulca sábios veios
Num sopro solta-se a corda dum canto
Bocas incendiadas, puros diademas
Nos gemidos da noite fecundada

Ferida a noite, treva aveludada
Em êxtase suave, quase adormecida
Silencio a chama que incandesce por dentro
Queimo o fogo com as pontas dos dedos

23 Comments:

Blogger Betty Branco Martins said...

"Sensório" poema de vagas

amar a íntima rotura
das vagas
amar a infinita expressão
sempre eterna
dum corpo
que se deixa
querer

e o desejo
qual rebentação
se eleva sobre um dorso...)

Lindo

Beijinhos com carinho
BoaSemana

13 novembro, 2006 21:03  
Blogger Marco António said...

A poesia é o corpo que vibra dentro de um cálice,
A vida é a poesia que escreve com a gota de sangue,
O sangue é o túnel da vida e da poesia que seduzem o tempo,
O tempo é a memória de feridas em desejos extasiados de recordações ardentes infinitas.

Abraço,
Marco António

13 novembro, 2006 21:15  
Blogger .*.Magia.*. said...

Letras macias, toque suve da rima, sensualidade em tons de entrega...

Muito bonito!
Um beijo!

14 novembro, 2006 13:12  
Anonymous Guilherme F said...

Porque as palavras não chegam. Porque a emoção transborda.
Porque, de tantos "porque(s)" só posso dizer: que belas palavras.

Agradeço as tuas.
Bj
Gui

14 novembro, 2006 13:34  
Blogger João JR said...

Olá,
Que bonitas palavras aqui tens, parabéns:)! Escrever é um dom precioso e nem todos o têm.
Obrigada tb pelo teu comentário, volta sempre, tens a porta aberta.
Eu tb voltarei aqui!
beijos

14 novembro, 2006 15:22  
Blogger Angela said...

Sensações expressas na tua peculiar escrita, bela, suave, encantada.

É muito agradável ler-te e é sempre um desafio.

Beijo grande.

14 novembro, 2006 15:23  
Blogger Pierrot said...

Nem sei o que te diga cara amiga!!!

A foto está super sensual e casa muito bem com o texto.

A ultima estrofe está ainda mais linda...como que uma noite ferida...de prazer!
Uma dor que doi sem doer
Uma chama que arde sem se ver!

Bjos daqui
Eugénio

14 novembro, 2006 16:42  
Blogger amadis / pintoribeiro said...

Boa noite. Assim.

14 novembro, 2006 18:45  
Blogger daniel sant'iago said...

"No seio... as pontas dos dedos"... um caminho trilhado!
Beijo dado.

14 novembro, 2006 19:40  
Anonymous Juda said...

Maravilhoso sentido nas palavras... muito bom, gostei... um abraço...

14 novembro, 2006 22:46  
Blogger Escuta o teu mundo... said...

Adoro a tua escrita, transmite muitos sentidos.
Bj

15 novembro, 2006 00:37  
Blogger Pierrot said...

Vim cá sentar-me um pouco, fugindo da chuva e do frio, nestas palavras que me agasalham.
E assim me fico meio hipnotizado
Bjos daqui
Eugénio

15 novembro, 2006 15:59  
Anonymous Anónimo said...

Naveguei pela sedução das tuas palavras.
Parabéns pela beleza dos teu poemas.

Um beijo José

16 novembro, 2006 08:07  
Blogger Ulricka said...

As palavras são a mais fantásfica forma de expressão que existe. Nelas me perco e encontro, com elas me moldo, sem elas torno-me vazia, despojada...
Parabéns pelo blog! Sublime!

16 novembro, 2006 14:29  
Blogger Joaquim Amândio Santos said...

na recusa do palato saciado nasce permanentemente o voraz apetite pelo belo...

17 novembro, 2006 17:45  
Blogger Nilson Barcelli said...

Todo o poema é escrito com muita qualidade, imagens, ritmo, musicalidade, etc.
As 2 linhas iniciais são de mestre.
Enfim, não tenho muitas palavras para aplaudir a maneira brilhante como escreves.
Um beijo.

17 novembro, 2006 19:53  
Blogger Alisson da Hora said...

bom para ler antes de dormir e sonhar, mesmo com o impossível...

beijos

a.h.

18 novembro, 2006 00:38  
Blogger Z said...

nada mais sensual que uma pedra de gelo!
faz vibrar!

18 novembro, 2006 03:23  
Blogger amadis / pintoribeiro said...

Bom fim de semana.

18 novembro, 2006 11:28  
Blogger AS said...

Teu é o nome que dizemos
Quando
as palavras
nos falam de amor...
Quando
o nosso olhar oscila
pela solidão dos abismos...
Quando
ferida a noite
se queima a noite
com a ponta dos dedos...


O teu poema é sublime!!!

Um terno beijo...

18 novembro, 2006 15:27  
Anonymous libertynnus said...

ui.....lindooo...senti o arrepio tu o desejo

18 novembro, 2006 16:54  
Blogger o alquimista said...

Esmagador...intenso, vibrante poesia, paleta de sensualidades...


doce beijo

19 novembro, 2006 15:29  
Blogger isabel victor said...

de uma beleza arrepiante ...

21 janeiro, 2007 22:03  

Enviar um comentário

<< Home