terça-feira, dezembro 12, 2006

Vórtice












Gemido, rio incontido
Sede de chuva repentina
Obstinada fúria, à nossa revelia
Sóbria como o próprio cortejo
Ansiosa por morder qualquer desejo
Carícias de tacto transparente
Ao sabor de uma súbita corrente

No leito da noite rubra
Arde a volúpia acerada da pele nua
Derrama-se o liquido
O corpo é infinito

Voz opiada
Alma copulada
Sucumbem os corpos em vagas
Adormeço sobre espelhos d' água

26 Comments:

Blogger Unicus said...

"O que é um belo poema senão uma loucura retocada?", pergunta-se G. Bachelard.


Tens a [rara] faculdade de articular o circunstancial com o absoluto, de perceber no ambiente concreto a voz da comunicação que te/nos levará à inscrição poética, à transfiguração modelar, numa expressão límpida e pura muito própria, muito tua.

descodificas-te: o carácter profundamente sensual da tua poesia onde os espelhos d´água, o rio incontido, a voz opiada e/ou a entrega absoluta adquirem uma forte conotação erótica. É uma sensualidade que tanto pode tocar as raias de uma entronização de Eros, como pode diluir-se numa tristeza de um amor perdido ou não correspondido. Já me seria dificil viver sem ler a tua poesia intensa. Espero-a em livro. Porque sim.
O meu beijo

12 dezembro, 2006 18:25  
Blogger Pedro Branco said...

De tanto voar o pássaro encontrou um ninho bom. De tanto dançar o cortejo subiu à montanha. De tanto cantar a luz se fez silêncio e som. De tanto esperar a palavra ganhou a cor tamanha. O voo dos poetas. A dança dos profetas. O canto dos amantes. O encontro de ti.

É bom sentir estas marés.

12 dezembro, 2006 21:41  
Blogger daniel sant'iago said...

No vórtice de redemoinhos... um turbilhão... (de) líquido.
Um beijo.

13 dezembro, 2006 16:35  
Blogger Bandida said...

o tacto. o corpo.


infinito.





B.
______________________

13 dezembro, 2006 18:28  
Blogger Marco António said...

Espelhos d'água que limpam a alma dentro do corpo a flutuar pela paixão ardente inalada e vivida para além do sol posto.

Um abraço,
Marco António

13 dezembro, 2006 21:43  
Blogger agua_quente said...

Um turbilhão de sentimentos à tona das tuas palavras. Belo.
Beijos

13 dezembro, 2006 22:45  
Blogger AS said...

Belissimo poema!...

14 dezembro, 2006 22:23  
Blogger vida de vidro said...

Sou levda por esse vórtice de palavras. Sentimento líquido à flor da pele. **

14 dezembro, 2006 22:57  
Blogger St. J. said...

Entrei sem bater à porta.

É recorrente. Sei que por vezes não se entende. Porque a razão não casa com sentimento.

Um furacão de sensações que nos suga em espiral, e não pára.

Tens imagens belas e poesia singular.

J.

15 dezembro, 2006 02:07  
Blogger Nilson Barcelli said...

Mais um belíssimo poema.
Sensual, diria mesmo erótico, e muito bem escrito. As palavras soam bem e lido em voz alta é uma maravilha...
Bom fim-de-semana.
Beijo.

15 dezembro, 2006 13:59  
Blogger Guilherme F. said...

Regresso, para degustar as palavras, as tuas.
AGradeço as que deixaste.
Bjs
Gui

16 dezembro, 2006 12:09  
Blogger Daniel Aladiah said...

palavras ditas em verso... prazeres imaginados da alma...
Um beijo
Daniel

16 dezembro, 2006 17:32  
Blogger Alisson da Hora said...

Já que lembraram do Bachelard aqui, cito um versinho do Rilke que ele cita n'A Poética do Espaço: "O mundo é grande, mas em nós ele é profundo como o mar"...
Sim, o corpo é infinito...

lindo, sempre, teus versos...

abraços

a.h.

17 dezembro, 2006 21:33  
Blogger Sophie said...

Lindo este teu poema!

Um beijinho e um Feliz Natal!

19 dezembro, 2006 14:00  
Anonymous Zahir said...

São mares e marés,
rodas e remoinhos,
palavras, penas e pergaminhos
que tão só, leio a teus pés!
Beijo

19 dezembro, 2006 16:40  
Blogger amita said...

Mais um belíssimo poema com aquela intensidade na conjugação de palavras muito tua. Tanto te cobres como te desnudas.
Umas Festas Felizes.
Um bjinho grande

21 dezembro, 2006 19:33  
Blogger delfim peixoto said...

Bom Natal, Saúde, e Um Bom Ano

22 dezembro, 2006 12:20  
Anonymous juda said...

Bom Natal e um 2007 soberbo... deixo um abraço... gostei de ler a voz opiada...

22 dezembro, 2006 23:54  
Blogger Escuta o teu mundo... said...

Bom Natal e um Ano Novo 2007 espectacular...!!!
:)

23 dezembro, 2006 13:17  
Blogger João C. Santos said...

Olá boa noite.
Celebra-se a época do Natal, que como tudo será rica e festiva para uns e a outros nem por isso, é com esses que o nosso pensamento tem que estar é a esses que desejamos o melhor de tudo, numa altura em que a ausência nos fere e entristece como nunca.

Um Feliz Natal.

João C. Santos

24 dezembro, 2006 06:58  
Anonymous Mel said...

Hj venho apenas dar-te aquele abraço amigo. Que as palavras sejam agora e sempre elos que nos unem na e para além desta teia.

Bjs doces de Mel

Um excelente Natal de Paz e Amor

24 dezembro, 2006 11:28  
Blogger Desassossego said...

Alma copulada... entrega, partilha total... o principio do fim...
Beijo doce e um 2007 repleto de amor.

28 dezembro, 2006 08:15  
Blogger o alquimista said...

Após em interegno obrigatório chego na saudade e deixo-te um sortilégio para iluminar o caminho até ao Alquimista onde te espero com ternura...

Mágico beijo

29 dezembro, 2006 12:29  
Blogger mixtu said...

Que decir...

rio... chuva... corrente...espelhos dágua...

poesia...

y que bonito decires en tu profile...

muy bonito... arte que es poesia...

y como serán tus ecos... de felicidad... seguro...

besos

03 janeiro, 2007 15:59  
Anonymous Mel said...

Para além das palavras, esta música "Valsa de Amélie..."

Um dia conto-te um segredo ...
Bjs de Mel
Bom fim de semana...

12 janeiro, 2007 13:11  
Blogger zuladairam said...

Gostei do post. fica o convite para conhecer o meu blog, especialmente o post intitulado "vórtice" ;)

14 março, 2007 00:16  

Enviar um comentário

<< Home