terça-feira, setembro 09, 2008

Corpografia


















Sei de um tratado em papiro
Guardado no berço luzente do peito
Teço meus rios
Paralelos com outros rios
São instantes maduros de nascente
Exalados na brisa, no pêndulo do vento
Aceso olfacto nas pontas dos dedos
Concebidos em gestos, mãos silentes
Não sei se é linguagem
Essa valsa de hemácias
Cuja boca penetra a voz
E me acaricia com seus lábios de vinho
Arqueia-se o sol, ícone em rubro
A morte sobe pelos dedos
Desfaz-se em embriaguez
Tornando mais fogo a sede de dilúvio

31 Comments:

Blogger Mar Arável said...

Li no silêncio

com os cães

e no fim do texto

só me apeteceu cantar

isto é ladrar por bem

09 setembro, 2008 23:26  
Blogger Moon_T said...

numa só palavra:
espectacular

10 setembro, 2008 15:19  
Blogger Corvo Negro said...

Tens sido e continuas a ser liricamente perfeita.

Adoro as tuas metáforas e adoro a estirpe das tuas imagens.





(não penses que não te tenho acompanhado, já agora)

11 setembro, 2008 11:26  
Blogger Paulo Lopes said...

Quando me faltar a inspiração já sei onde hei-de vir beber...

Agrada-me esta sensação de erguer o olhar para o que escreves, tão alto está.

Obrigado pela visita.

12 setembro, 2008 01:22  
Blogger Selena Sartorelo said...

Tuas palavras significam um entendimento incomum prá alguns...
Tuas palavras traduzem uma condição inteligível pra outros...
Teu alcance se faz na magnificação da palavra ... de muitas maneiras.
Gostei muito.

Selena

12 setembro, 2008 17:07  
Blogger vida de vidro said...

É bom voltar a ler-te. A qualidade da tua poesia impõe-se por si. A beleza também. **

15 setembro, 2008 18:38  
Blogger Baraújo said...

obrigado por este momento.

beijo terno

17 setembro, 2008 15:19  
Blogger Mel de Carvalho said...

Belíssimo sempre a forma como nos falas, num registo sensual e estético.

Grande e saudoso abraço

(há que séculos não visitava blogs, meu Deus ...)

Mel

20 setembro, 2008 19:00  
Blogger Daniel Aladiah said...

Belo...
Um beijo
Daniel

21 setembro, 2008 10:37  
Blogger Delfim peixoto said...

Gostei!
Não foras tu a "compositora"
bj

25 setembro, 2008 14:44  
Blogger Nilson Barcelli said...

Excelente.
Não tenho mais palavras.
Beijinhos.

26 setembro, 2008 19:15  
Blogger Bill Stein Husenbar said...

Maravilhoso.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

27 setembro, 2008 18:54  
Blogger verdades_e_poesia said...

«aceso olfacto na ponta dos dedos» muito bonito, tal como a poesia em geral. Vou-te colocar nos favoritos do meu blogue, coisa que já era para ter feito, mas sabes como é, vai passando um dia e outro... Beijinhos

30 setembro, 2008 18:04  
Blogger Ricardo Galvão de Mello said...

Olá! obrigado pela tua visita!

Já tinha saudades do teu texto, da tua imagem, da tua arte!

Gostei muito!

Beijo

19 outubro, 2008 23:55  
Blogger ~pi said...

( de olhos fechados

osmose de

lu z



~

30 outubro, 2008 08:41  
Blogger Corvo Negro said...

...e onde se escondeu a senhora dos diluvios fonéticos?

01 novembro, 2008 11:57  
Blogger Bill Stein Husenbar said...

Sem palavras.

Inesquecivel.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

08 novembro, 2008 09:27  
Blogger José Miguel Gomes said...

Ao tempo que não lia o Sol arqueado...

Fica bem,
Miguel

13 novembro, 2008 17:41  
Blogger Betty Branco Martins said...

.querida_________Mnemosyne





muito belo




será!!!________belíssimo!



ou




contempla-se______apenas



.a




beleza




____________em silêncio______________...











beijO____C_______carinhO

13 novembro, 2008 20:16  
Blogger Mar Arável said...

Tenho-a procurado nas marés

reconheço-a nos sons

mas continua a fugir

por entre os dedos

24 novembro, 2008 22:21  
Blogger BELMAR said...

beillo

02 dezembro, 2008 19:16  
Blogger Bill Stein Husenbar said...

Nesta época natalicia, desejo um Feliz Natal recheado de momentos bons e inesqueciveis na companhia dos que mais ama. Que a alegria e a esperança se espalhe e se concretizem no coração de cada um de nós.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

13 dezembro, 2008 12:03  
Blogger Filipe Oliveira said...

Feliz Natal.
Paz, Saúde e Amor para 2009.

24 dezembro, 2008 06:13  
Blogger Bill Stein Husenbar said...

Feliz ano novo.

Feliz 2009!

Que os sonhos se concretizem.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com

01 janeiro, 2009 17:26  
Blogger Vieira Calado said...

A minha visita, creio que depois de longa ausência.
Muito belo o seu poema.

Cumprimentos.

13 janeiro, 2009 15:24  
Blogger Lord of Erewhon said...

Belo poema; um regato fresco da carne.

11 abril, 2009 11:45  
Blogger Corvo Negro said...

A lonely kiss (to remember)

05 maio, 2009 22:29  
Blogger Spectrum said...

Soberba sempre!
Beijos

20 outubro, 2009 18:00  
Blogger Vieira Calado said...

Bem bonito,

este seu poema!

Beijocas

12 fevereiro, 2010 00:27  
Blogger Aesis said...

Desculpa-me a demora.









Quando voltas?
Voltas?

23 março, 2010 23:39  
Anonymous Anónimo said...

Eu bem volto inumeras vezes. ao dia. mas não sei o que te aconteceu. Vou esmorecendo...m

04 maio, 2010 09:16  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home