domingo, março 23, 2008

Colirium


















Coloca uma palavra
No vale da minha nudez
E planta vinhas de sol de ambos os lados
Para que quando a brasa for alfombra
Minha boca fique toda à sombra
E se torne carícia o fogo do astro

15 Comments:

Blogger SentidoS said...

Geometria divina a palavra cunhada no papiro dos poros, alma e olhar. Como sempre, sufocante e macia escrita...bela...beijo sentido...

24 março, 2008 11:08  
Blogger Sniqper ® said...

Letras soltas, que voam graciosas, ao sabor do calor de um corpo, desenhando pensamentos feitos sentimentos...

24 março, 2008 21:52  
Blogger ContorNUS said...

E X C E L E N T E ! ! !

voltarei

25 março, 2008 18:09  
Blogger Templo do Giraldo said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

25 março, 2008 19:08  
Blogger Paradoxo said...

Palavras profundas salpicadas com beleza e sentimento! Nota 20

beijao salpicado com ternura,voltar é uma certeza!

25 março, 2008 19:59  
Blogger Tiago said...

pa(ra)lavra(r)

beijo

25 março, 2008 22:18  
Blogger Mar Arável said...

um dia destes

dedico-lhe um poema

se já isso não aconteceu

25 março, 2008 23:12  
Blogger Alma Nova said...

Palavras...o príncipio. Que se acende e renasce nos corpos que o alimentam.

26 março, 2008 15:07  
Blogger Narrador said...

Tão poucas palavras...e no entanto, conseguem ter o poder de criar logo as imagens...aqui na minha imaginação.

Excelente.

26 março, 2008 21:16  
Blogger Mel de Carvalho said...

Equivastus, um imenso prazer estar aqui de novo. Perdoa a ausência.

Os teus textos são belíssimos.

Um sincero abraço da Mel
www.noitedemel.blogs.sapo.pt

PS: Deixo outro link da minha noite de prosa. Por lá não dá p/ comentar. É mesmo p/ dias de insónia :).

27 março, 2008 13:29  
Blogger un dress said...

oh alimenta-me

de vinho

do vício

da mais pura

água!





[ beijO

27 março, 2008 23:37  
Blogger ~pi said...

escrever:

até ao fim da

pele...




~

28 março, 2008 11:10  
Blogger O Profeta said...

Esta é a alma que voa de um Profeta
Ao encontro do teu sentimento
Este é o sal de alva espuma
Que te ofereço e diadema de espanto…

Olhos de alma, da tua alma
Quero-os no cais da minha chegada
Espero por ti em manto de ternura
No encontro da minha caminhada


Bom domingo

Mágico beijo

30 março, 2008 17:40  
Blogger José Miguel Gomes said...

Hum, vou pensar melhor sobre este poema... Muito bom :)

Fica bem,
Miguel

31 março, 2008 17:49  
Blogger DelfimPeixoto said...

Na simplicidade está o elixir do fruto da vinha...
parabéns

02 abril, 2008 19:00  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home