domingo, março 09, 2008

Ardentias



















Escrever no timbre da concha
Onde os dedos não se cansam
Desenhar-me com sede
Língua de fogo, península acesa
Onde as velas pedem ventos
E as palavras bordejam
As praias rochosas das ilhas

Querer ir além da pele
Derramar-me liquida sobre o mar
Ser onda indefinidamente
Desaguada, sem medir margens

O sol ruiva e o vento uiva
Há cópulas de ondas molhadas
Onde a nudez se precipita
A luz mordendo o ventre das águas


13 Comments:

Blogger Filipe Oliveira said...

vem sol, dá-me força, atira-me raios.
bjs

09 março, 2008 10:39  
Blogger Narrador said...

Lindíssimas palavras.

É como se tivesse as imagens que criam, mesmo à minha frente.

Agradeço a partilha.

09 março, 2008 21:18  
Blogger verdades_e_poesia said...

«Querer ir além da pele
derramar-me líquida sobre o mar»
Bonito! Gostei da poesia ;) Beijos

09 março, 2008 22:30  
Blogger Mar Arável said...

Como a chuva

por entre os dedos

13 março, 2008 01:04  
Blogger jorge vicente said...

"A Edium Editores convida-o a participar na sessão de lançamento da obra “Travessia” do poeta José Félix, no dia 22 de Março de 2008.
O evento terá lugar no Porto Palácio Hotel, salão “3 Rios” às 16.30 horas
A obra será apresentada pelo poeta de Coimbra Xavier Zarco
Endereço: Avenida da Boavista nº 1269, Porto."

gostava que fosses. é o lançamento de um grande poeta. e é bom termos assistentes com uma poesia tão boa como a tua.

um abraço
jorge vicente

13 março, 2008 14:04  
Blogger Betty Branco Martins said...

minha_______________querida




.o



abraço.perfeito






das tuas palavras






.como.corpos.se.amando








belíssimo








beijO c/ carinhO

14 março, 2008 19:16  
Blogger mateo said...

Assim escreve quem ama ainda que vá monologando a duas mãos.

Mateo

16 março, 2008 02:10  
Blogger SentidoS said...

ou a língua mordendo a ardência da voz...belíssimas letras...como sempre...

17 março, 2008 13:01  
Blogger DelfimPeixoto said...

Quanta saudade de te ler e ter em minha casa

17 março, 2008 19:39  
Blogger Tiago said...

... querer ir além da pele, mais além, contornando os sem contornos meus, em alguém.

17 março, 2008 23:17  
Blogger José Miguel Gomes said...

E não há melhor que o ventre das águas...

Fica bem,
Miguel

18 março, 2008 13:59  
Blogger Irene said...

Composição que ultrapassa os sentidos em todo o esplendor!
Soberbo!

21 março, 2008 00:29  
Blogger ETÊS TUGAS ® said...

Escrever, desenhar...Sentir! A vida em todo o seu esplendor!

23 março, 2008 14:46  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home