segunda-feira, outubro 09, 2006

Onírico




















No crepúsculo inventado
Retoco o céu amendoado
Faz-se um leito em meu peito
Dissolvo um pensamento

Em minha alma, águas respingo
Faço-me chuva, álveo e cinza
Da taça um verso se esvai e alaga
A polpa da carne sonolenta e delicada

Intervalo entre um orgasmo
E um outro espasmo de gozo
Serenidade que envolve um abraço
Sincero e quase casto

Canso
Repouso o torso humedecido
Na cândida fragrância dos lírios florindo
Por entre as áleas do esquecimento dormindo

19 Comments:

Blogger Besnico di Roma said...

Agradeço o teu comentário no meu espaço e vim visitar-te.
Gosto do que escreves e das fotografias. Género difícil, preto e branco, difícil de conseguir pois não tem a ajuda da cor; apenas tonalidades de preto e branco. Muito bom.
Beijinhos

Olha!... fui o primeiro a comentar…

10 outubro, 2006 12:47  
Blogger Pierrot said...

Onirico...
Que titulo tão bonito, original e diria que casto...
A foto, aliás, como é hábito neste teu blog, está tremenda.
Sei que pode parecer um lugar comum dizer-te isto mas este teu blog está seguramente nos meus 5 preferidos.
Tem poesia com muita qualidade e este onirico não é excepção.
E no intervalo de um orgasmo, um abraço sincero e quase casto.
Retive esta ideia.
Parabéns
Bjos daqui
Eugénio

10 outubro, 2006 13:22  
Anonymous Princesa said...

Mademoiselle Mnemosyne num momento Onírico de inspiração!
Muito bonito, amei particularmente a foto e balançava boamente nesse quarto de lua...

Beijinho grande e sensível,
Princesa

10 outubro, 2006 14:34  
Blogger amita said...

Agradeço as palavras que me deixaste e vim ler-te.
Felicito-te pelo espaço, pelos poemas que dançam em imagens muito belas, pelo que te dou as boas-vindas ao mundo blogosférico.
Na minha eterna distracção, tentarei estar atenta a este espaço poético de qualidade.
Gostei de te ler, volta sempre.
Um bjo e uma flor

11 outubro, 2006 10:54  
Blogger clotilde said...

Muita, muita inspiração!!!

11 outubro, 2006 11:25  
Blogger Nuno Vieira said...

Olá,

sou um *crítico muito mau, não sei o que dizer, fico embaraçado. Só posso comentar que a metafísica dos teus poemas me toca, apesar de preferir o realismo cru e puro.
Parabéns pelo teu blog.



*leia-se crítico dizer bem ou mal.

11 outubro, 2006 11:38  
Blogger Alisson da Hora said...

ora...obrigado pelo comentário que postasse no meu blog...tua escrita é tão profunda quanto...belos versos, belas imagens...

beijos

a.h.

12 outubro, 2006 02:43  
Blogger Delfim Peixoto said...

´Ficou lindo... aliás boa conjugação palavra/imagem! Gostei
bjs ternos

12 outubro, 2006 16:36  
Blogger Betty Branco Martins said...

Olá Minha querida

A dávida do amor são como lírios florindo - em cada beijo em cada entrega...

Belo...

Beijinhos

12 outubro, 2006 17:15  
Blogger .*.Magia.*. said...

olá!
Não sei o que quer dizer equivastus...mas para mim quer dizer sensibilidade...a tua, aquela que deixas nas tuas palavras...!

Tens aqui poemas muito bonitos!
Deixo-te um beijinho e um sorriso!

12 outubro, 2006 17:26  
Blogger Luis Enrique said...

É exemplar a relaçâo da mulher com seu corpo. Os homens nâo temos essa relaçâo poetica com o nosso corpo. Imagino, que o verdadeiro prazer começa na entrega, no amor e na comprensâo, e, claro, um conhecimento perfeito do nosso corpo e os tempos. Mas presinto, de alguma forma, que isso pertence mais ao Universo femenino. Nâo assim a poesia, que revela ambos universos, sem desvelar nenhum. É realmente impressionante como voce consegue unir beleza poetica, um certo misterio onirico e o infinito prazer femenino. Realmente belo, como bela deve ser voce.

13 outubro, 2006 11:37  
Blogger Vanda Baltazar said...

O desnudar de um sentir!

Van

13 outubro, 2006 12:33  
Blogger MiguelGomes said...

Poema belo... Parabéns...

Obrigado pela visita no meu blog e votos de um bom fim-de-semana para ti também.

Fica bem,
Miguel

13 outubro, 2006 16:19  
Blogger o alquimista said...

Passei por aqui e achei um encanto o teu espaço, volto se não te importares...

Beijo

13 outubro, 2006 17:53  
Anonymous Juda said...

Olá... estou como o Bésnico, a preto e branco... gostei das letras... um abraço...

13 outubro, 2006 23:31  
Anonymous Anónimo said...

Onírico, diga-se, é algo que parece permear toda a tua poesia. Gostei do que li, prometo tentar voltar.

Beijos, bom fim de semana.

14 outubro, 2006 19:38  
Blogger Göttlicher Teufel said...

lindas palavras...

15 outubro, 2006 11:09  
Blogger Nilson Barcelli said...

Os teus poemas têm sempre muita qualidade e este não foge à regra.
No título, nas palavras, nas metáforas. Gosto de ler, por isso, tudo o que escreves.
Boa fotografia.
Beijos.

15 outubro, 2006 18:32  
Blogger João C. Santos said...

Suave o pensamento

ao "amendoado" corpo...

17 outubro, 2006 03:08  

Enviar um comentário

<< Home