quarta-feira, outubro 25, 2006

Esteio















Sou-te
És-me
O negro da página
O branco da tinta

Toco o veludo da alma
Um baixar de pálpebra
Deixo que a chama se avolume
Solfejando cada suspiro ou queixume

Suspensa me perco
Me encontro por disperso
Simples arco circunflexo
Meu ser se curva e reinventa o passo



21 Comments:

Blogger Unicus said...

É nesse amplexo curvilíneo que o amor acontece. A beleza reside na força das palavras. Adorei as tuas.
Beijos

25 outubro, 2006 11:37  
Blogger caminhos said...

Obrigado pela visita e carinhosas palavras. Vim retribuir e fiquei...deslumbrado. A beleza das imagens, a riqueza das palavras...fiquei encantado. Voltarei todos os dias
Beijo

25 outubro, 2006 12:30  
Blogger Delfim Peixoto said...

De facto, as plavras que escreves e sentes, faz sentir, tbm
bjs ternos

25 outubro, 2006 12:44  
Blogger MiguelGomes said...

Simples, mas longínquas...
As tuas palavras vão longe...

Fica bem,
Miguel

25 outubro, 2006 16:06  
Blogger AS said...

Na ousadia circunflexa onde te curvas, começa o infinito!...

Um beijo...

25 outubro, 2006 17:34  
Blogger Marco António said...

Palavras escritas a tinta branca em folha negra, com um toque de alma suave que acaricia o tempo que passa por entre os suspiros largados na cadência de brisas entre flores de amares que se cruzam na sua forma intemporal.

Palavras que me surgem ao percorrer um instante de leitura que faço suspender no tempo.

Marco António

25 outubro, 2006 21:55  
Blogger Anjo said...

Tudo se torna perfeito quando conjugado...tal como este poema!
Lindo
Boa noite

26 outubro, 2006 01:09  
Anonymous Secreta said...

Hmmm ... lindissimo jogo de palavras!
Beijito.

26 outubro, 2006 10:07  
Blogger Angela said...

Acho que a escrita nos ajuda a nos conhecermos melhor. Divagamos, procuramos e encontramos no nosso âmago coisas que até então estavam escondidas.
a escrita, no fundo, ajuda-nos a ver melhor.

Beijinhos.

26 outubro, 2006 20:48  
Blogger Carla said...

"Só te sendo
Já aos poucos
Não me sinto

Sinto muito
Melhor, adsinto
Adjunta que sou
(Sempre tão perto)

Absinto-me
Abstenho-te
De Mim

Perdida em não me ter
Meus olhos me procuram
Na tua retina

Tua boca
Me move
Me sobe
Te sabe
Sem te abrir

Meus braços
Me alcancei
Já te serei

E antes disso
Me terás."

Beijos

27 outubro, 2006 09:50  
Blogger Nilson Barcelli said...

Escreves bem e ler-te é sempre agradável.
Este poema é delicioso. Constitui uma entrega total nas palavras.
Um bom fim-de-semana.
Um beijo.

27 outubro, 2006 15:17  
Anonymous Juda said...

Olá... essa é a minha paixão, a poesia, muito bom... deixo um abraço...

29 outubro, 2006 01:52  
Blogger o alquimista said...

És tão tanto... tão sublime, um mar de encanto...

Doce beijo

29 outubro, 2006 11:03  
Blogger Betty Branco Martins said...

Olá Mnemosyne

Belíssimo poema

"Simples arco circunflexo
Meu ser se curva e reinventa o passo"

..o deslizar...das palavras...

Beijinhos

29 outubro, 2006 14:12  
Blogger sentidos said...

As tuas palavras estremecem qualquer um...
Quando os extremos se unirem e abraçarem, a nossa alma curvilínea tornar-se-á, unificada se sentirá, e percorrerá num novo movimento, num movimento outrora desconhecido, os caminhos que nos farão mais sentido.

Um bj sentido...

29 outubro, 2006 22:05  
Blogger Corvo Negro said...

...e caminhas um caminho por ti inventado.

30 outubro, 2006 10:50  
Anonymous Zahir said...

Palavras fortes e doces, um aroma de amor um esteio do coração!
Beijos

30 outubro, 2006 14:32  
Blogger Pierrot said...

Este é um blog brutal
Já o disse em varios post e reitero-o aqui.
Este é um blog que merecia muito mais do que este universo anónimo que é a blogosfera.
Os teus textos, os teus poemas, e as fotos são de uma qualidade impressionante.
Suspensa me perco mas meu ser se curva e reinventa o passo.
Bem, isto escrito assim no contexto certo e com esta foto que parece feita para o texto, está sublime.
Muitos parabéns
Bjos daqui Mnemosyne
Eugénio

30 outubro, 2006 14:45  
Blogger Nilson Barcelli said...

E se diluísses mais palavras tuas no blog?
Um beijo.

31 outubro, 2006 10:36  
Blogger daniel sant'iago said...

Não tentei compreender(-te)...
Senti... apenas.

02 novembro, 2006 01:09  
Blogger João JR said...

Olá,
belo o teu espaço! lindos poemas, bonitas fotos. voltarei se não te importares,
Bjs

09 novembro, 2006 11:55  

Enviar um comentário

<< Home